Asilah

Asilah Marrocos

Asilah Marrocos

Asilah

Asilah é uma cidade na costa noroeste de Marrocos, 45km a sul de Tânger.

No passado foi a cidade portuguesa de Arzila, conquistada em 1471 durante o reinado de Afonso V. Para a defender, foi construída uma praça-forte, que viria a ser depois ampliada e reforçada a partir de 1509, especialmente a nível da alcáçova e da cerca amuralhada do seu porto.

Os objectivos para Arzila foram atingidos em poucos anos: torná-la um entreposto comercial e estratégico essencial na rota do ouro do Saara. A praça viria a ser abandonada pelos portugueses em 1550, já que a sua manutenção se tornou impossível após a unificação de Marrocos tornada possível pela conquista de Fez pelo xarife saadiano Mohammed ech-Cheikh, em 1549. Assim, D. João III decidiu jogar pelo seguro e manter unicamente Ceuta e Tânger.

Mas Arzila viria a ser ocupada novamente entre 1577 e 1589 quando D. Sebastião tentou conquistar Marrocos. Não viria a ter sucesso e tudo acabaria na Batalha de Alcácer-Quibir, em 1578. Onze anos depois já Arzila estaria nas mãos do sultão saadiano al-Mansur.

Nos dias de hoje, Asilah é um destino a não perder. Continua a ser protegida pelas muralhas que a defenderam durante tantos anos. Extremamente pitoresca, tem uma arquitectura Hispano-Mourisca muito bonita, com casas brancas de portas e janelas de um azul e verde maravilhosos.

Três portas monumentais levam a uma discreta passagem que conduz até à medina. Um passeio pelas ruas desta medina é simplesmente fascinante, especialmente quando surge a vista para o mar. Também em Asilah encontramos o mausoléu de Sidi Ahmed el Mansu.

Conhecida como a cidade dos artistas, a vida cultural de Asilah é bastante dinâmica. Existem muitas pinturas murais de artistas locais que podem ser apreciadas por toda a cidade. No centro Hassan II, no coração da medina, estão expostos muitos outros artistas.

Se quiséssemos resumir, numa frase, o que é Asilah, poderíamos dizer que se trata duma jóia marroquina da arquitectura Hispano-Mourisca com uma cena cultural encantadora.